Como pregar o Salmo 91 em tempos de Coronavírus? Dicas para sermão.

.

1) Estrutura do Salmo

.
A estrutura deste Salmo no texto hebraico é muito evidente e fácil de se reconhecer. Os versículos 1 e 2 apresentam um fato: Aquele que se esconde em Deus faz declarações de confiança ao próprio Deus. O restante do Salmo apresenta 4 argumentos pelos quais essa é uma verdade: 3-8; 9-10; 11-13 e 14-16. No texto hebraico, cada uma dessas seções começa com a conjunção ki, que neste caso significa “pois, porque”, apresentando, assim, as razões, os fundamentos para a afirmação dos versículos 1 e 2. Infelizmente algumas traduções em português omitem essa conjunção que é fundamental para compreender a estrutura deste salmo.
.

2) Aspectos do Texto

.
91.1 O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente 2 diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio.
.

  • Três nomes de Deus aparecem nesses versículos: Elion (de El-Elion, em Gênesis 14.18-22 e outros lugares), Shaday (de El-Shaday, em Gênesis 17.1 e outros lugares) e Yahweh, o nome da aliança de Deus. Ao usar esses nomes para Deus, esse Salmo nos relembra da história de Abraão.
    .
  • Existe uma questão de tradução no versículo 2. Na Bíblia Hebraica, o verbo está em primeira pessoa: “eu digo ao Senhor”. Algumas traduções colocam em terceira pessoa, pois a septuaginta (LXX) coloca dessa forma. O Salmista está declarando a sua confiança em Deus e ensinando os seus ouvintes a fazer o mesmo, pois vale a pena fazê-lo.
    .

Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.
.
4  Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro;
a sua verdade é pavês e escudo.
.
5  Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia,
.
6  nem da peste que se propaga nas trevas,
nem da mortandade que assola ao meio-dia.
.
7  Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido.
.
8  Somente com os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios.
.

  • Esse Salmo é usado por muitos como uma promessa garantida contra todo o tipo de mal. Esse Salmo contém promessas? Eu acredito que sim. Mas promessas que têm que ser colocadas no contexto de toda a história da redenção. No momento que abrange o período do Antigo Testamento e no momento em que vivemos agora, do já e ainda não, as promessas desse Salmo se cumprem parcialmente. Às vezes Deus livra os seus servos milagrosamente, em outras ele permite que eles sofram e sejam martirizados, garantindo-lhes as promessas deste Salmo para depois da morte. É útil lembrarmos de uma lista de sofredores justos que encontramos nas Escrituras: A Bíblia começa com Abel, patriarcas, povo de Deus no Egito, profetas, Jesus Cristo, 12 apóstolos, Paulo, João em Patmos e cristãos primitivos.
    .
  • Certamente, ao final, Deus vai livrar aqueles que se abrigam nele.
    .
  • O Diabo interpretou esse Salmo como uma promessa para o aqui e agora: “Então, o levou a Jerusalém, e o colocou sobre o pináculo do templo, e disse: Se és o Filho de Deus, atira-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem;  e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra.  Respondeu-lhe Jesus: Dito está:  Não tentarás o Senhor, teu Deus.” (Lucas 4.9-12)
    .
  • Jesus, por outro lado, mostra que as promessas deste Salmo não são necessariamente para agora:
    .

    • Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome! Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago.  Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões  e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.  Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus. Lucas 10.17-20
      .
    • E sereis entregues até por vossos pais, irmãos, parentes e amigos; e matarão alguns dentre vós.  De todos sereis odiados por causa do meu nome.  Contudo, não se perderá um só fio de cabelo da vossa cabeça.  É na vossa perseverança que ganhareis a vossa alma. Lucas 21.16-19
      .
    • Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. João 16.3
      .

Pois disseste: O SENHOR é o meu refúgio.
Fizeste do Altíssimo a tua morada.
.
10  Nenhum mal te sucederá,
praga nenhuma chegará à tua tenda.
.

  • Esses versículos não apresentam uma razão nova, mas resumem o que o Salmo apresentou até aqui.
    .
  • No hebraico não existe esse “disseste”. O texto diz literalmente: “Pois tu a Yahweh [fizeste] como ‘meu refúgio’”. Novamente aparecem os nomes Yahweh e Elyon e novamente aparece uma promessa. O tema de Deus como refúgio, esconderijo, torre forte, escudo, habitação, ou seja, protetor, aparece em todo o Salmo.
    .

11 Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito,
para que te guardem em todos os teus caminhos.
.

12  Eles te sustentarão nas suas mãos,
para não tropeçares nalguma pedra.
.

13  Pisarás o leão e a áspide,
calcarás aos pés o leãozinho e a serpente.
.

  • Aqui o texto apresenta uma nova razão do porquê aquele que abriga no esconderijo de Deus pode declarar a sua confiança em Deus. A razão é que Deus usa anjos para cuidar daqueles que lhe pertencem.
    .
  • Alguns textos que nos ajudam a entender o ministério dos anjos são: Lázaro é levado por anjos para o seio de Abraão (Lucas 16.22); eles são chamados de “espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação” (Hebreus 1.14); Gabriel é enviado para auxiliar Daniel a entender a revelação que está recebendo (Daniel 9.21-23); Miguel é chamado de “o defensor dos filhos do teu povo” (Daniel 12.1), o arcanjo Miguel disputou com o Diabo o corpo de Moisés (Judas 1.9); Mateus 18.10 dá a entender que os pequeninos tem anjos nos céus que contemplam a face de Deus e o anjo que ajudou João a entender a revelação em Apocalipse proíbe João de adorá-lo e diz: “Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus”. Em suma, existe alguma verdade na história popular de “anjo da guarda”.
    .

14 Porque a mim se apegou com amor, eu o livrarei;
pô-lo-ei a salvo, porque conhece o meu nome.
.
15  Ele me invocará, e eu lhe responderei;
na sua angústia eu estarei com ele,
livrá-lo-ei e o glorificarei.
.
16  Saciá-lo-ei com longevidade
e lhe mostrarei a minha salvação.
.

  • A última razão que o Salmo apresenta é diferente, pois nela, o próprio Deus é quem fala em primeira pessoa. É uma mudança de voz que às vezes acontece no livro de Salmos, de repente Deus, ou, às vezes, o Messias começa a falar.
    .
  • Nesses versículos é o próprio Deus quem promete libertação, resposta, sua presença na angústia (o que deixa claro que o fiel passará por angústias), glorificação, longevidade e salvação!
    .

3) Possíveis temas para a pregação:
.

  • O que você diz a Deus e o que Deus diz a você.
    .
  • As bênçãos daquele que se abriga em Deus
    .
  • Deus é refúgio para aquele que se refugia nele
    .
  • Motivos pelos quais podemos confiar em Deus

.
4) Possíveis Aplicações
.
Para quem é o Salmo 91? (Descrições do próprio Salmo)
.

  • Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo
    .
  • Aquele que descansa na sombra do Onipotente
    .
  • Aquele que diz: meu refúgio, meu baluarte, Deus meu em quem eu confio
    .
  • Aquele que diz: O Senhor é meu refúgio
    .
  • Aquele que fez do Altíssimo a sua morada
    .
  • Aquele que se apegou ao Senhor com amor
    .
  • Aquele que conhece o nome de Deus
    .
  • Aquele que invoca o nome de Deus

.
Esse Salmo se cumpre em Cristo
.

  • Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio. 2Coríntios 1:20
    .
  • E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões,  extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões.  Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra.  Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados. Hebreus 11:32-40
    .
  • Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda. 2Timóteo 4:8

.
5) Citações Interessantes
.

  • “É impossível que algum mal aconteça com o homem que é amado pelo Senhor; as calamidades mais destruidoras só podem encurtar a sua jornada e apressar a sua recompensa. As coisas ruins para ele não são coisas ruins, mas sim o bem em sua forma misteriosa. As perdas o enriquecem, a doença é sua medicina, a reprovação é a sua honra, a morte é o seu ganho. Nenhum mal no senso estrito da palavra pode acontecer a ele, pois todo o mal é anulado pelo bem. Feliz é aquele que vive em tal estado. Ele está seguro quando outros estão em perigo, ele vive quando outros morrem”. (Spurgeon, The Treasury of David, Vol. 2, Part 2, 93)
    .
  • “Neste Salmo somos ensinados que Deus vigia sobre a segurança de seu povo e jamais o abandona nos momentos de perigo. São exortados a avançar pelo meio dos perigos na confiança de sua proteção. A verdade inculcada é de uma grande utilidade prática, pois embora muitos falem tanto da providência divina e confessem crer que Deus exerce uma vigilância especial sobre seus próprios filhos, poucos são aqueles que realmente se dispõem a confiar-lhe sua segurança”. (João Calvino, Salmos; vol. 3, São José dos Campos, SP: Editora Fiel, 2009–2012, 460)
    .
  • “Há ligações entre este salmo e, respectivamente, os Salmos 90 e 92, pressupondo que sua posição aqui no Saltério é deliberada. Então segue a súplica pelo favor de Deus com que o Salmo 90 termina. O Salmo 91 contém uma promessa multifacetada de Deus aos crentes nos versículos 14–16, e então é seguida de sua resposta no Salmo 92. A parte principal do Salmo 91 se assemelha em estilo à literatura sapiencial, e por isso ele é mais bem classificado como um salmo sapiencial (ver a Introdução, pp. 55–57). As afirmações gerais do salmo acham confirmação dramática na palavra do Senhor com que o salmo termina”. (Allan Harman, Salmos. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 2011, p. 330.)
    .
  • “O Salmo 91 é didático em caráter: (1) assegura Israel da segurança do perigo para aqueles que fazem do templo de Deus o seu recurso habitual (v. 1-3, 4c); (2) então, em um discurso direcionado, exorta a não temer a pestilência que está destruindo multidões de todos os lados (v. 5-7); afirma que Deus vai mantê-los a salvo nas mãos de anjos da guarda (v. 9, 11-13); e, finalmente, (3) fala em nome de Deus, assegurando àqueles que conhecem a amam a Deus que Ele vai livrá-los de todas as provações e honrá-los com longevidade (v. 14-16)”. (Charles A. Briggs and Emilie Grace Briggs, A Critical and Exegetical Commentary on the Book of Psalms. New York: C. Scribner’s Sons, 1906–1907), 278.
    .
  • “Todos os Salmos de Deus são maravilhosos. Mas alguns deles se elevaram a uma posição para o povo de Deus como sendo especialmente ricos e confortantes e se transformaram em salmos para os quais o povo de Deus recorre repetidamente em tempos de doença, solidão e provações. O Salmo 91 é um desses salmos especiais. Ele tem sido guardado no coração por milhares de pessoas e milhões se coltaram a ele com gratidão no meio das calamidades da vida. O Salmo 91 pode ser comparado ao Salmo 46, que chama Deus de “nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” (Sl 46.1). Martinho Lutero amava esse salmo e se voltou a ele frequentemente por causa de suas muitíssimas provações”. (James Montgomery Boice, Psalms 42–106: An Expositional Commentary (Grand Rapids, MI: Baker Books, 2005), 747.)

.
6) Exemplos de Pregação no Salmo 91
.