FIDES REFORMATA ONLINE

Artigo: A IGREJA E SUA CONFESSIONALIDADE (Volume XIX)

Por João Alves dos Santos

Resumo

A igreja precisa de uma confissão de fé? Qual o conceito de confessionalidade à luz da Bíblia? Como entender a máxima “Igreja reformada sempre se reformando” como sendo compatível com a ideia de uma confessionalidade estável? Quais os usos que a igreja pode fazer de sua confessionalidade e quais os limites a que ela deve estar subordinada? Neste artigo o autor pretende oferecer uma resposta a essas perguntas à luz das Escrituras e da própria experiência da igreja ao longo de sua história. Pretende demonstrar que a confessionalidade não é apenas parte intrínseca da fé, mas também uma consequência natural dela. Argumenta que a igreja não pode abrir mão de uma confessionalidade fixa sem que também abra mão de sua identidade cristã e da salvaguarda da firmeza e pureza doutrinárias, em consonância com os postulados bíblicos. Argumenta que o slogan “Igreja reformada sempre se reformando” deve ser entendido à luz dos escritos e da prática dos reformadores, não como um incentivo a mudanças na confessionalidade da igreja, uma vez alinhada às Escrituras, mas como um alerta a manter essa confessionalidade sempre coerente com o ensino bíblico e a evitar e, se necessário, extirpar dela, qualquer mudança que se afaste desse ensino. Apresenta vários usos da confessionalidade para a Igreja, como a proclamação da fé, a instrução e identificação dos seus membros e até mesmo sua disciplina, quando necessário. Reconhece, todavia, que há limites que devem ser respeitados para que a confessionalidade não se torne apenas fator de divisionismo ou de restrição à liberdade de consciência e crença entre os que comungam da mesma fé, no que diz respeito a questões secundárias não tratadas nas Escrituras ou sobre as quais elas não são tão claras ou evidentes.

Palavras-chave

Igreja; Confessionalidade; Ecclesia reformata et semper reformanda est; Confissão; Fé.

Sobre o autor

Bacharel em: Teologia pelo Seminário Presbiteriano Conservador (B.Th. 1963), em Direito pela Faculdade de Direito de Bauru, SP (1969) e em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Prof. José A. Vieira de Machado, MG (1981). Mestre em: Divindade e em Teologia do AT pelo Faith Theological Seminary (M.Div., 1973 e Th.M., 1974) e em Teologia do Novo Testamento pelo Seminário Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição (Th.M., 1985). Foi professor de Grego e Exegese do Novo Testamento no Seminário Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição, desde sua fundação em 1980 até 2004, onde, desde 2005 continua lecionando Grego. Foi também professor de Grego e Exegese no Novo Testamento no Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas (de 1980 a 1986) e o primeiro coordenador do CPAJ (1991). É ministro jubilado da Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil e membro do corpo editorial da revista Fides Reformata. É casado com Elaíne e pai de três filhas: Aline, Anne e Louise.

Clique aqui para baixar o artigo

“E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.” Isaías 11.2
> Newsletter

Coloque aqui seu e-mail para receber nossos Boletins Informativos:

> Informações de Contato

ANDREW JUMPER
Centro Presbiteriano de Pós-Graduação
Rua Maria Borba, 44 - Vila Buarque
São Paulo - SP - Brasil - CEP: 01221-040

E-mail: atendimentocpaj@mackenzie.br
Tel: 011 2114-8644 - Fax: 011 3256-6611

Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper© 2014. Todos os direitos reservados.